Leis do UX Design que não se deve ignorar

Um bom Design deve ser perceptível, ele deve ajudá-lo a resolver suas tarefas sem problemas e executar ações nos sites. Por trás da simplicidade do Design UX está o estudo de padrões no comportamento humano. Observe abaixo as leis básicas de UX que encontramos diariamente e dicas de como usá-las.

Lei de Hick (Paradoxo da escolha)

A lei de Hick afirma que o tempo necessário para decidir depende da quantidade de escolhas disponíveis para uma pessoa. Quanto mais opções existem, mais tempo levamos.

Esta lei recebeu o nome do psicólogo britânico e americano William Edmund Hick. Ele e seu colega Ray Human estudaram a dependência entre o número de estímulos e o tempo de reação de um indivíduo a eles. 

Esse experimento envolveu 10 lâmpadas que acenderam aleatoriamente. Os participantes tinham que escolher aquele que clareava. Quanto mais lâmpadas havia, mais tempo as pessoas precisavam para escolher a certa.

Como usá-lo

1 — Reduza o número de opções. 

É muito importante quanto se quer ações objetivas e quando o tempo de resposta é crítico, por isso muitas opções aumentam o tempo de decisão. 

Por exemplo, isso é importante para ambientes e menus do sistema de controle. Lembre-se de que quanto menos opções você der a um usuário, maior a probabilidade de ele realizar uma ação.

2 — Divida processos complexos e longos em etapas menores.

Colocar muitas informações em um único lugar costuma confundir o usuário a melhor prática é a divisão do conteúdo em telas continuas.

Por exemplo, você pode dividir o processo de registro do usuário em várias telas. Isso tornará a interface mais amigável.

3 — Mantenha um equilíbrio entre reduzir a complexidade e simplificar demais.

Dividir as escolhas para uma série de pequenos pedaços pode fazer o usuário sair antes de atingir a meta.

Existem duas regras para fazer pequenos passos funcionarem: mostre quantos passos você tem e tente limitá-los a 5 passos no máximo.

4 — Use o destaque para ajudar os usuários a evitar sobrecarga e fazer uma escolha mais rápida.

Você pode destacar opções importantes para os usuários entre a interface confusa. Isso faz o usuário a seguir os passos mais importantes e otimizando a conclusão do processo.

5 — Categorize e resuma a escolha da navegação dos usuários no site.

Se um menu oferece acesso direto a todos os links, pode sobrecarregar rapidamente o usuário. Coloque menos links, ou faça sub-menus com base em um segmento do site.

Quando podemos quebrar a lei

Há situações em que a escolha infinita funciona muito bem. Por exemplo, rolagem infinita no Tik Tok ou Instagram. Ao mesmo tempo, em ambos os casos, as ações são tão simples que os usuários podem repeti-las muitas vezes. É diferente com a Amazon Prime, por exemplo. A redução de opções aqui funciona muito melhor: as pessoas gostam de listas diferentes como séries no top 10, ou os mais assistidos, as melhores comédias e assim por diante. Essas listas ajudam os usuários a tomar uma decisão difícil — como escolher um filme ou programa de TV entre milhares no catálogo dos streamings.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.