Onde Olhar? E Quem Vai Olhar?

Para desenvolver suas habilidades de design, é vital que você desenvolva um olho de interação com seu público. Se você puder olhar para um design e identificar por que ele funciona (ou não), você estará muito melhor equipado para incorporar esses insights em seu trabalho.

Um olho para o design também pode ajudar a despertar novas ideias para o seu trabalho. Descobrir o que funciona e o que não funciona permitirá que você determine o que funciona e o que não funciona quando você está criando seus próprios projetos. É uma habilidade importante que vale a pena tirar um tempo para aprimorar. Então, se você está procurando aumentar suas habilidades de design em 2022, aqui estão cinco maneiras de ajudá-lo a desenvolver seu olho para o design.

Um designer visual aborda o design de UX de um ponto de vista, o designer de interação de outro e o programador de outro. Pode ser útil entender e até mesmo experimentar as partes diferentes de olhar que os outros estão experimentando.

 

1. As pessoas não querem trabalhar ou pensar mais do que precisam.

As pessoas estão à procura do mínimo de trabalho possível para realizar uma tarefa.

É melhor mostrar às pessoas um pouco de informação e deixá-las escolher se querem mais detalhes. A terminologia mais apropriada para isso é a divulgação progressiva, sobre a qual escrevi um post recentemente.

Em vez de apenas descrever as coisas, mostre às pessoas um exemplo claro e objetivo. Apenas forneça os recursos objetivos sobre o que elas realmente precisam. Não confie na sua opinião sobre o que você acha que elas precisam, faça pesquisas com seus usuários para realmente descobrir o que elas querem. Dar às pessoas mais do que elas precisam só atrapalha a experiência final.

Uma opção é fornecer padrões, eles permitem que as pessoas façam menos trabalho para fazer o que elas vieram fazer.

 

2. As pessoas têm limitações

Algumas pessoas só podem olhar para pequenas informações gradualmente, outras leem pouco e perdem o interesse. Por isso, forneça apenas as informações necessárias no momento. Torne a informação fácil de digitalizar. Use parágrafos curtos de informações.

As pessoas não podem fazer várias tarefas, ou se debruçaram profundamente sobre um único assunto, deixei a pesquisa muito clara sobre isso.

As pessoas preferem comprimentos de linha curtos, mas eles leem melhor com os mais longos! É um enigma, então decida se conteúdo ou cliques é mais importante no seu caso, mas saiba que as pessoas vão escolher o que realmente são melhores para elas.

 

3. As pessoas cometem erros

Aprenda que as pessoas cometem erros, todo mundo sem exclusividade, por isso, você deve antecipar o que elas iram tentar e evitá-las. Se os resultados de um erro forem muito graves com essa ação, use uma confirmação antes de agir na ação do usuário e torne mais fácil “desfazer.” 

Prevenir a ocorrência de erros é melhor que ajudar as pessoas a corrigi-los quando ocorrem. Se uma tarefa for propensa a erros, divida-a em partes menores e menos propensas ao erro. Se o usuário fizer um erro e você puder corrigi-lo, faça-o e mostre o que você fez. Quem projeta o Design UX também comete erros, portanto, certifique-se de que há tempo e energia para interação, feedback do usuário e testes.

 

4. A memória humana é complicada

As pessoas reconstroem memórias, o que significa que elas estão sempre mudando. 

Evite usar referências que o seu público não conhece, desenvolva conteúdos que eles conhecem.

A memória é frágil e degrada-se rapidamente e está sujeita a muitos erros. Não faça com que as pessoas se lembrem de coisas de um bloco para outro ou de uma página para outra.

As pessoas só se lembram de 3-4 itens de cada vez, por isso, não sobrecarregue a memória dos usuários.

 

5. As pessoas são sociais

As pessoas sempre serão sociais, isso é uma verdade há milhares de anos. Dentro da nossa sociedade existem diversos sistemas influenciadores. As pessoas olham para os outros em busca de orientação sobre o que devem fazer, especialmente se eles são incertos sobre suas ações. Isso é chamado de validação social. É por isso que, por exemplo, classificações e avaliações são tão poderosas em sites.

Se as pessoas fazem algo juntas simultaneamente, isso as une, na verdade, há reações químicas no cérebro. O riso também une as pessoas. Se você fizer um favor para mim, então eu vou me sentir em dívida para lhe dar um favor de volta (pelo menos em pessoas recíprocas). As pesquisas mostram que, se você quer que as pessoas preencham um formulário, dê-lhes algo que elas queiram e peça que elas preencham o formulário, e não o contrário.

Quando você vê alguém fazendo algo, as mesmas partes do seu cérebro se iluminam como se você estivesse fazendo isso sozinho. Estamos programados com a nossa biologia para imitar o outro e se você quer que as pessoas façam algo, então mostre a alguém que está fazendo isso, principalmente alguém influente no seu meio.

Conclusão

Esse olhar técnico e preciso é algo a ser treinado e com essas dicas espero que ajude a pensar em novas maneiras de olhar o seu design, e sobre quem irá interagir com ele. Afinal, não criamos conteúdos para pessoas iguais. Sempre temos que estar atentos às individualidades de cada cliente para proporcionar a experiência mais duradoura e memorável possível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.